segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Na terra de João Cabral, pega aqui no meu ... CAOS

...conforme o combinado, vou postar sobre a minha viagem, sobre minhas ferias em Recife (e um final de semana sem João Pessoa eletrizante)

Pois bem, eu estava com muita vontade de ir buscar a mamãe em Recife, não aguentava mais a saudade e a má alimentação. Já tinha até conseguido os dias de ferias com o patrão, mas ainda estava meio desacreditado. Acho que era o conglomerado de contas que eu tinha que pagar e a falta de grana que estava me assolando. Foi quando eu lembrei que estava na época de receber o famoso abono salarial PIS, mas mesmo assim ainda estava desacreditado em relação a viagem mais por falta de grana mesmo. Não relutei e fui até a casa lotérica pra ver se tinha algum tostão do PIS. Pra minha grata surpresa, estava lá, R$415,00, não contei pipoca e fui pra rodoviária com o Marquinhos comprar a passagem.

Já no sábado, estava rolado aquele climinha triste de despedida mais por parte da Isabelle. Realmente ela estava tristinha... Mas ela é tão fodastica que foi me deixar na rodoviária. O cambão saíra as 20:00 do dia 18/11 e eu teria que enfrentar 12 horas (fora as paradas) de ar condicionado brutal, uma crente do meu lado tentando me converter e um bêbado atraz me enchendo e que em Fortaleza fez uma brincadeira com a Isabelle. Após passar pro 3 estados a manhã pernambucana estava me reservando uma sensação familiar. A primeira providencia foi buscar uma informação de como chegar em BOA VIAGEM (nome bastante sugestivo), sorte que a mãe de um brother meu estava no cambão e me deu umas coordenadas junto com o seu outro filho.

Eram por volta de umas 11:00 quando eu adentrei no prédio onde a Sílvia e a mamãe estavam. Como eu fiz questão de ir sem avisar, cheguei chegando dando um grito daqueles. Quase fui confundido com um ladrão. Por sorte fui reconhecido pela Sílvia e pela mamãe e tive a receptividade de um rei.


Na terça feira fui ao encontro do grande "Xulinho". Figura ilustre do underground pernambucano. Ele me levou num restaurante hare krishna onde eu comi o maior hamburguer vegetariano da minha vida, depois fomos pra terça negra, que não tava muuuuito bacana. Então ele me levou pra conhecer o recife antigo


Fiquei em Recife dando rolé com Mery e com Ivonete junto com mamãe, conhecendo a cidade e coisas do tipo. Entrei em contato com algumas pessoas de João Pessoa. Estava meio chato em Recife e eu ja tava meio que ficando chateado, falei com Lorena e ela não podia me receber, falei com Lívia eela não pode me receber também, lembrei da Camilla e ela , ao contrario das outras foi foda e disse que iria me buscar na rodoviária.

Cheguei em João Pessoa sexta-feira lá prás 22:00 e fiquei esperando a Camilla com o Ícaro na integração. De lá fomos dar uma volta no que eles chamam de feirinha pra pegar a chave da casa na qual eu iria me abrigar, com Onara, uma figura foda que gentilmente cedeu o quarto pra eu descansar.


É engraçado, fui pra João Pessoa e não imaginaria que iria conhecer pessoas fodas que nem esses da foto e Onara. Pago pau mesmo pra eles, a verdadeira resistência é a que eles me mostraram durante minha estadia lá e sabe , tudo seria mais chato se não fosse por eles. Porra, eu não paguei uma passagem de cambão, comi muito bem e eles me levaram em festas (festinhas académicas) que eles não queriam ir (foram também pela falta de opção), só tenho a pagar pau mesmo pra eles. No sábado eles me levaram na loja de discos do Oliver onde eu lavei a burra (pra deixar ela bem cheirosa, Camilla?) comprei materiais que jamais iria encontrar em Fortaleza.


No domingo fomos pra praia, eu comi amendoim cozido e quase eu vomito (eca, coisa ruim do caralho). Fomos pra casa da Onara e de lá fomos pra UFPB mais uma vez. Na volta ouvimos uns miados de um gatinho que não conseguia descer de uma árvore cheia de galhos secos. Porra , foi foda, tentamos ajudar o felininho e nada dele querer descer, até que eu e o pessoal demos uma facilitada na vida dele e colocamos um tronco que lhe serviria para descer. Ai foi só puxar um ronco (literalmente) novamente na casa da Onara.

Acordei meio que já na hora do rango, foi só o tempo de ir na casa da Camilla pegar umas coisas, comer algo e ir pra rodoviária. Quando chegamos na rodóviaria , Lorena já estava aguardando agente, comprei a passagem, imaginem só, poltrona 13, pra alegria da Camilla. Pra tristeza dela eu cheguem bem em Recife.

De volta a terra do frevo, foi aquela morgação até quarta a noite, quando fomos pro TIP com Sílvia, Mery e Ivonete pegar o combão de volta pra Fortaleza...

Só me resta agradecer principalmente Ivonete e Mery pela receptividade e tratamento comigo,Xulinho pela paciência e pelo rolé, Ícaro e Camilla por me aguentar (muito foda vocês dois), Onara por ter me dado um teto em João Pessoa (desculpe os roncos), muito obrigado mesmo, vocês fizeram a diferença...

Nenhum comentário: